segunda-feira, dezembro 27, 2010

As rotações dos neurónios

As coisas aqui para o meu lado tem andado meias secas... Não sei se é por causa do tempo, se é por causa do espírito natalício e do final de ano, apenas não faço a mais pálida ideia. 
O facto é que não tenho conseguido escrever nada de jeito. Nada que valha a pena ler, ou melhor, passar se quer a vista por cima. 
Assim só por acaso, estava eu a sair de casa, depois de jantar, e, assim de repente, ouvi na televisão uma fala, que julgo ter sido a fala de uma telenovela:

"Talvez, na verdade, temos inspiração, não quando estamos felizes, mas sim quando estamos em sofrimento."

Fiquei desde então sempre a pensar nisso. Talvez, na realidade, existe bastante verdade nessa afirmação...

Ora bem. Ora muito bem...

Bem, por motivos de saúde, estive um pouco ausente aqui do meu blogue (uma pequena desculpa, porque na realidade não estive lá com muita criatividade). Pois então acho que devia descrever um pouco o meu Natal...
Felizmente (ou infelizmente), não há muito para contar. Foi apenas um natal como os outros. A família praticamente toda junta, mau tempo que se farta, e, para variar, o pai voltou-se a esquecer de coser o saco para não perder prendas pela viagem. Pois este ano, sem excepção, a árvore voltou a estar um pouco vazia... Mas está bem bom. Como costumo dizer: "Podia estar bem pior..."
Agora vamos esperar para a passagem de ano. Vou ver se vai ser diferente da do ano passado (eheheh), porque estava a ouvir os foguetes da celebração do ano novo deitado no sofá, com a tv aberta na RTP Açores e com uma chávena de chocolate quente na mão. Muito bom hein? (eheheh)

Vamos a ver se este ano tenho um copozinho com champanhe pelo menos...

sexta-feira, dezembro 24, 2010

As minhas prendinhas de Natal

Bonitas não são? (Mesmo assim ainda falta uma)









Pessoal! Feliz Natal!!

Que tenham tudo aquilo que sempre desejaram junto daqueles que mais vos amam!

Beijos e Abraços




quinta-feira, dezembro 23, 2010

As minhas sortes...

Isto são daquelas coisas que uma pessoa lê e diz para si: "Que é que eu tenho a haver com isto?" Mas acho que devia partilhar estas minhas sortes...
Estava eu a poupar dinheiro para comprar  a minha máquina fotográfica bridge, quando hoje tive que ir ao doutor por causa do raio da minha alergia, porque, com o anti-alérgico que tenho andando a tomar, tenho estado constantemente com hemorragias nasais. Então lá fui eu ás urgências e, para minha felicidade, ele dá-me um papelzinho que vale praticamente todas as minhas poupanças para a máquina...



Mas que sorte hein? :D 
Obrigado Pai Natal ou Menino Jesus pela bela prenda...

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Foi Mesmo Na Mosca!

Ia um homem a passear na praia e, de repente, dá um pontapé numa lâmpada mágica e sai um um Génio.

"Por me teres libertado vou te conceder somente um desejo"

O homem pensando que aquilo não passava de uma brincadeira diz:

"Olhe! Quero que me ponha a mijar champanhe!"

*Tlim*

"Desejo concedido!"

Depois de tudo isto, o homem foi para casa e deu-lhe vontade de ir à casa de banho. Fez o que tinha a fazer, arriou as calças para baixo e lá começou a fazer o serviço. Entretanto lembrou-se do desejo e mete o dedo no mijo para provar.

"PORRA! Realmente isto é champanhe! HO MULHER! HO MULHER ANDA CÁ DEPRESSA!"

"O que é homem?"

"Prova isto!"

" Ome não vou agora provar mijo! Estás tolo ou quê??"

"PROVA!" 

Lá ela, contra a sua vontade, provou o mijo.

"Oh homem isto é champanhe! Vou já buscar duas taças para agente beber!"

Muito sério o homem diz:

"NÃO! Traz é só uma que tu vais é beber pela garrafa!"


DESCALABRO TOTAL ENTRE O PESSOAL!!!

terça-feira, dezembro 21, 2010

Novos Ares Para a Veia

Hoje fez me bem sair com o pessoal...
Já à uns tempos que não dava altos berros ao ponto de ficar a chorar de tanto rir. Fiquei desejado de descobrir novas gentes, novos lugares, novas situações... Quero sair daqui! Nem que seja por um mês, dois ou três. Só quero é sair e ver novos olhares, diferentes dos que estou acostumado a ver aqui (predominantemente falsos). Estou simplesmente farto de estar sempre a olhar para o horizonte e nunca o conseguir alcançar. Quero conquistar o horizonte, o céu, o mar e a terra. Quero passar do sonho para a realidade.

Quero descobrir-te! Estejas onde tu estiveres...

Questão de Pensar

Já alguma pensaram na seguinte questão:




Se aparecer um homem no vosso quintal e derem um tiro nos cornos por vos estar a roubar, vocês, por estarem a defender o que é vosso, são:









Mas se forem para a guerra e matarem milhares, no final, são:





Que acham disto? Dá que pensar não dá?

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Obrigado a Todos!

Tinha prometido a mim mesmo que, assim que chegasse às mil visualizações, fazia uma mensagem de agradecimentos a todos aqueles que leram/viram o meu blogue.



Pois então o meu grande e caloroso obrigado. (E que venham mais mil!)




Que nenhuma mulher se atreva a dizer que todo o homem é aproveitador, insensível, que não sofre e que não sabe amar nem ser amado: que são todos iguais.

Já sei como é...

Estão ficando cada vez menos à minha volta. É um poder, um conhecimento inato que tenho. Existem as pessoas que são sobredotados para a escrita, outras para a música, outras ainda para os estudos. A mim calhou-me isto. Enfim... Felizmente habituo-me rapidamente a essa ideia, felizmente... Talvez seja melhor para mim. Assim penso mais em mim do que nos outros, afinal primeiro estamos nós e depois os outros não é? 

This Is The Song Of My Christmas...Just Wonderful...

Alpha Rev - Perfect Love

domingo, dezembro 19, 2010

Ho, Ho, Ho! This is Christmas Time!

What a great Christmas... Here, getting drowned in deeply shit, waiting for something  that will never arrive... Just here... Alone... 

That's What I Call a Big Beautiful Smile...

I'm dreaming that someday I'll make a good English text without using the Google translator, because I'm a really bad English writer (ahahahah). Now I'm remembering when my dad told me about one his friends who says to him, when he was in Boston, North America: "Hey! You speak American like one Spanish horse!" My dad laughed with them, but he really didn't understood anything about what he said... That's a fact... We always make beautiful smiles, but we not always know why we are really smiling... We only continue smiling, because makes us happy, whatever the reason.

We just have the right to be happy whatever the reason...  

sábado, dezembro 18, 2010

É a Vida...

É impressionante como o meio em que vivo, da forma que é pequeno, tem tanta pouca gente, mas apesar disso, essas pessoas conseguem me surpreender de tal forma que ainda fico a pensar como não conseguia ver a verdadeira forma de como elas são... 


Tanta ingenuidade na minha cabeça até mete nojo...(Blearg)

quinta-feira, dezembro 16, 2010



Estou sempre a conhecer conhecer-me...

Ainda à pouco tempo estava a rever alguns trabalhos meus e, para minha surpresa, surgiu-me um sentimento que simplesmente desconhecia,  bastou apenas ficar a saber que havia um trabalho meu que, pelo que parece, não era meu. O pior de tudo isto é que achava o trabalho simples, mas fantástico. Diga-se que estava babado com esse trabalho...


Mas pronto... Vivendo e aprendendo...


Para os que não sabem...

Raiva é um sentimento de protesto, insegurança, timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que se exterioriza quando o ego sente-se ferido ou ameaçado. A intensidade da raiva, ou a sua ausência, difere entre as pessoas.
A raiva também pode ser um sentimento passageiro ou prolongado (rancor) e a expressão da irritabilidade e agressão humana. Outros nomes como fúria, ira, cólera, ódio, crueldade, etc. aplicam-se a distintas formas ou modulações desse sentimento que enquanto expressão do instinto de agressão é extensível aos demais vertebrados.

in pt.wikipedia.org 

segunda-feira, dezembro 13, 2010

Saliências Limadas a Olho Nu

Decisões por tomar, teorias por provar... Na verdade, à primeira vista, não existe qualquer conformidade entre ambas as palavras, para além de ambas terem um poder furtivo nas nossas vidas, quer querem quer não, é uma verdade indubitável.
Pois então passo a explicar:




- Num primeiro passo, vem as decisões e, claro, fica sempre a decisão do rumo que se há-de dar a tudo aquilo que se passou com a cuja pessoa;
- Num segundo passo, ficasse na incerteza acerca das palavras que se vai usar - isto, claro, pondo logo de parte a questão de se usar uma "mentirinha" ou duas, só para dar mais "ênfase" à coisa -, na atitude que se vai tomar perante situação (in)delicada.
    

Depois entra-se na fase crucial.  
 As Teorias

"Será que vai ficar bem?"
"Terei tomado realmente a melhor opção?"

"Será que vou ser feliz como era com ele/ela?"

"Quando o/a voltar a ver, com/sem alguém, ficarei indiferente?"


___________________________________________________________

E aí então, no final, pensa-se para si próprio:


"Que que se f***... Dá-me bastante preocupar com a minha vida e não com a dos outros..."





sábado, dezembro 11, 2010

Pecados para que vos Quero?


"Meu filho! Ide! Cumpre a tua penitência e renuncia ao Diabo."


Bem com esta penitência de 634 páginas (A Filha do Capitão) não há pecado (nem juízo) que resista...

Agora renunciar ao Diabo é bem mais fácil. Basta pedir a ele que carregue isto tudo e que leve (de preferência) pró Inferno!  



(Re) Introducing Me

Agora deu-me para cantar (sorte a minha que não tenho vizinhos rabugentos), ainda para mais quando é uma música do Nick Jonas cantada no Camp Rock... Enfim... Isto está tudo doido, mas mesmo não é para menos. Então pus me a pensar se devia ter me apresentado a ela de outra maneira, ou seja, se realmente não tivesse levado as coisas para o ponto mais sério, a fim de chegar tudo a este ponto em que estou, triste, só e abandonado sem saber qual o rumo que devo tomar nem quais as decisões que deva realmente tomar. Com grande certeza que não tinha desfrutado de grande parte das felicidade que ela me providenciou, mas o que realmente me importa é o facto de saber que sempre que estou perdido, olho discretamente para cintilante brilhar dos olhos dela, e, aí sim, sinto-me com um rumo; com um destino ao qual pretendo conquistar até o vento não ter mais força para soprar no pano de cetim das velas do meu barco que, um dia, nos poderá levar até à estrela polar; até ao lugar onde nada nem ninguém nos poderá separar.


 












  • Para que conste, consigo cantar praticamente toda a música sem começar com aquelas "comidelas" nas palavras. (Smile)


   
Lembro-me como se fosse ontem, aquele dia que fui, logo pela manhã, até ao teu encontro, onde dormias como um anjo naquele sofá; tão inocente e bela que estavas...
Aproximei-me suavemente do teu ouvido e sussurrei:

 

"Bom dia meu amor!"


Acompanhado com um doce e eterno beijo na maçã suave do teu rosto.
 

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Smells something to me, but it isn't Christmas

Hoje, com o fim-de-semana a esbarrar aqui na minha porta, que, para minha tristeza, é apenas só mais um de muitos fins-de-semana, porque, só assim por acaso, nada de especial se vai acontecer. Apenas vai passar o tempo e, julgo eu, não devo ficar lá muito alegre com isso. No entanto, ás vezes calha-me assim umas coisas até engraçadas no meu sapatinho. 
Estava eu aqui a passar umas coisas de Português quando, para minha alegria, recebo uma mensagem que, sendo a pessoa que sou, esboçou-me logo um sorriso na minha cara...

"Uma mulher apaixonada mandou a seguinte SMS ao seu amado. Meu amor, se estiveres a sonhar manda-me os teus sonhos. Se estiveres a rir manda-me o teu sorriso. Se estiveres a chorar manda-me a tua lágrima. Ele responde: Meu amor, estou a cagar, queres que te mande alguma coisa?"



Só tenho uma coisa a dizer:

Sometimes, love smells like shit...


 
   
"Não quero saber mais nada sobre ela, muito menos escrever sobre ela..."



No final de contas, amanhã, vou cá voltar e escrever outra vez

as mesma ideias...
 as mesmas tretas...

e no final vou fazer um grande...



...sorriso, mas também não dá para perceber se está a rir ou a fazer posse para a foto...

Sorriso Irónico


Que gozo que isto me dá.
Isto de estar a sarapintar a minha vida sempre da mesma forma, em prol de alguém que ignora-me como se fosse um "zé-ninguém", uma página completamente amarrotada e suja de tinta, a fim de acabar por ser passada à frente. 
_______________________________________________________

Questões respondidas de forma incerta, de forma inacabada, no entanto, talvez houvesse respostas, mas respostas só única e exclusivamente vindas da tua boca, cara a cara, olhos nos olhos.
Consequentemente era uma perca de tempo, tanto para ti, como para mim. Isto porque já está bem recalcado na tua mente acerca  do quanto "amas" essa pessoa mascarada e incerta, que, infelizmente, só no teu mundo é que assume uma forma bela, levando-te a um lugar utópico que NÃO existe! 
Fiz de tudo, apesar de, muitas vezes e com o meu consentimento, não ter sido justo para contigo, para com as tuas atitudes, para com as tuas decisões, apesar de eu sempre te dizer que podia mudar, que mudava consoante as situações, e, neste momento, é o que está a acontecer (choro). Estou a mudar. Possivelmente contra a minha vontade, talvez porque não o consigo evitar, ou porque não tenho forças para o fazer. Não sei. "Só sei que nada sei", afirmou Platão, e, consequentemente afirmo eu em alto e bom som!
Agora, neste momento, não permanece na minha cabeça questões como, "Ainda será que sentes alguma coisa por mim?" ou " Quando é que vou parar de sofrer por alguém que, possivelmente, não me liga patavina?", pergunto sim, "Será que - caso te dês ao trabalho de vir ao meu blogue e leres aquilo que posto acerca de ti, acerca daquilo nós éramos - ficas indiferente?"


"(...)
It's a beautiful lie
It's a perfect deny
Such a beautiful lie to believe in
So beautiful, beautiful that makes me

It's time to forget about the past
To wash away what happened last
Hide behind an empty face
Don't have too much to say
That this is just a game

(...)"
30 Seconds to Mars

quinta-feira, dezembro 09, 2010




Faço de tuas palavras, minhas palavras:

"Não sinto a tua falta, não tenho saudades tuas. Apenas sinto falta do que éramos, daquilo que tínhamos."
Ela




(O Problema é ser por outro, que não sou eu)




quarta-feira, dezembro 08, 2010

 

Porque talvez,
Não sei...
Porque talvez estás cá,
Dentro de mim.

Por isso,
talvez, este aperto.
Este aperto 
Que me deixa na dúvida,
Se estás ou não 
Dentro de mim...

Talvez...

Notas Soltas

Esta música que me soa tão bem... 
Melodia de mil e uma palavras. Palavras estas que foram escritas a preto sobre preto, que só vêem aqueles que realmente sentiram os seus sentimentos belos e brilhantes serem engolidos por um buraco negro, ficando apenas numa sombra sem dono, perdida na imensa escuridão do vazio.
Lição de Vida n.º3



  • Nunca te deixes levar pela ganância, pelo orgulho e pela inveja, porque um dia, se desapareceres, podem nunca te procurar.


segunda-feira, dezembro 06, 2010

Olhares (In)Discretos


Assim que me olhas, muitas das vezes (talvez) sem crer, sinto um formigueiro que me deixa incomodo, sem saber no que pensar, no que sentir...  Apenas revela-se a necessidade que tenho desses teus olhos castanhos, que a mim sabiam-me a chocolate quente numa gelada manhã de Natal - um autêntico conforto para o meu espírito. Mas, agora, só posso deliciar-me dessas relíquias de forma discreta, sem dares conta que me estou a reconfortar naquilo que eu era capaz de me perder eternamente...

Olha lá...

Cenas desta categoria sempre me deram um autêntico gozo (amargo), mas que, no final de contas, deixam-me a pensar, "Como é que conseguem inventar assim tanta coisa sobre mim e sobre aquilo que faço ou deixo de fazer?". Eu perdido neste sentimento "fantástico" e, no preciso momento, tu a passares à minha frente... "Coincidência?", pensei para mim. Sim... De certeza absoluta! Porque, no final de contas, tenho na minha consciência, muito bem assente, o facto de que, o que faço ou deixo de fazer, já não te interessa minimamente. Por isso, para mim, da mesma forma que já não te interessa minimamente se ando de pé ou às cambalhotas, também pouco me interessa o que essas pessoas de "segunda mão" inventam ou difamam acerca de mim...


POUCO ou NADA me importo com isso! 

domingo, dezembro 05, 2010

Coincidência

 

Ainda à pouco estava a ver este filme e a ideia com que fiquei foi que o Pai Natal é um excelente mafioso... Então como é que ele consegue fazer tantos brinquedos em pouco tempo? Exploração infantil. De onde é que vem todos aqueles brinquedos pré-feitos e alguns materiais para fazer alguns dos brinquedos? Comércio clandestino de material comercial. E no final, como é que ninguém faz nada para prender este homem? Chantagem e suborno.
E pronto, fico eu agora de consciência pesada por estragar o sonho de muitas crianças... Mas é para verem que até o Pai Natal vê que com todos estes impostos e reduções salariais dos governos, o que está a dar é virar para o lado clandestino...

Sussurros ao ouvido

     Ainda um dia destes, estava eu descansado, sem qualquer preocupação, e, de repente, chega-se uma pessoa de forma sorrateira por trás de mim e diz-me de forma tentadora, " Olha Ela!".
     Fiquei completamente vidrado assim que ouvi o teu nome. Parecia que tinhas entrado para dentro de mim, congelando todo o sangue que circulava nas minhas veias e o coração, que teimava em bater com cada vez mais intensidade devido ao eco que o teu nome fazia dentro da minha cabeça... Paralisaste por completo a minha alma, os meus pensamentos, os meus sentimentos... Tudo apenas com o teu nome...
     Agora, mais do que nunca, precisava de um dos teus abraços, nos quais eu me perdia completamente até ficar eternamente aconchegado no teu leito. Só tu tinhas esse; Só tu tens esse poder mágico de me transformar realmente feliz.

"Há uma voz
Que acalma esta ânsia que há em mim
Mais uma vez
Sinto que por ti eu me perdi.

Quero acordar
Esta chama extinta em mim
E de novo ter-te aqui


(...)


Não sei porquê
Há uma força que me impede de fugir
Volto a perdoar
Este alguém que apenas
Me soube mentir


(...)

Quero adormecer, em ti...
Só p'ra te dizer
Que te tenho ainda em mim
Quero adormecer
E os teus lábios quero de novo sentir
Quero adormecer, em ti..."



     

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Ending Way


Gostas da sensação de chegar a um beco sem saída? Não gostas pois não? Ninguém gosta de chegar a um ponto que nos mantém num cativeiro mental sem nos deixar pensar e/ou sentir... Ninguém gosta, incluído eu... Eu é que cheguei primeiro a esse ponto. Oh! O quanto queria (e quero) voltar atrás e sentir-te de forma suave e harmoniosa nos meus braços, mas não posso... Não posso porque tenho esta parede que está a impedir a passagem... 
E que tal saltarmos a parede e ficarmos no topo dela a olhar serenamente o luar branco e brilhante da lua? 

Que me dizes?

Não me dizes nada?

Porquê?
                                


Pois esqueci-me..

Preferes optar por tentar encontrar outro caminho... 










O tempo acaba por ser o veneno mais fatal para o Homem.

Quando voltas a passar cá pela minha Rua dos Sentimentos?


Desabafos de alguém perdido

Tudo isto dá voltas tão rápidas que num dia estou imensamente feliz, sem qualquer razão de queixa, e noutro momento tenho a vida a cair-me aos pés sem conseguir encontrar qualquer razão para existir... Quero gritar tanto, quero que me ouçam, que vejam realmente aquilo que sinto, mas no entanto nada faço para tentar ser compreendido, só vejo o tempo passar diante dos meus olhos e eu apenas a me esquivar dele para o deixar passar sem criar qualquer impedimento. 
Mas também gritar para quem, se os poucos que ouvem fazem-se de desentendidos... Já meu avô me dizia "O maior surdo é aquele que não quer ouvir". Agora sim dou-lhe toda a razão, talvez porque na altura ainda era novo de mais para compreender estas "conversas de gentes crescidas"; conversas que só tem quem quer e só ouve quem quer, porém à conversas que são inevitáveis.
Apesar de tudo isto, tento e tento cada vez mais fazer com que não esteja demasiado tempo espalhado no chão, porque estar assim é desistir, e desistir é perder as forças, e perder as forças é morrer...



quarta-feira, dezembro 01, 2010





"Sorri, porque começou um novo dia."
Manel Silveira

Será?

Já quase que nem ligo praticamente nada a este blogue... Tenho estado tão focado no blogue "Memórias Passadas a Limpo", muito porque faz me sentir bem; sentir-me fora da rotina (a)normal que costumava a fazer no passado. 
Talvez por estar a fazer algo que realmente gosto, que me leva a mostrar aos outros aquilo que eu vejo a partir da minha visão,  do meu olhar, do meu pensamento, me faça sentir bem espiritualmente. 
Não o faço com a intuição de fazer "show-off", de me mostrar melhor ou mais especial que alguém, não! Nada disso! Assim estaria a ir contra os meus próprios princípios, e aí sim criaria um paradoxo dentro de mim próprio.


 



"O melhor inventor é aquele que não admira só as suas invenções."
 Manel Silveira

segunda-feira, novembro 29, 2010

Uma de muitas realidades...

 
Faz me impressão, ou melhor, faz me mesmo muita impressão o facto de existir pessoas -  principalmente aquelas mais próximas - que gostam de fazer juízos negativos do trabalho dos outros somente por prazer, isto porque, dizem eles, "está-lhes no sangue", ou seja, é algo hereditário.
"Como é que conseguem passar mais tempo a ligar à vida dos outros do que à sua?"

Ora, vendo casos destes, só me surgem sentimentos de repúdio e de nojo, porém estaria a tornar-me numa pessoa igual ou pior que estas "máquinas de produção em massa" de inveja, coisa que tento evitar a todo o custo...


domingo, novembro 28, 2010

Just in time darling...



Cause...


 I wont forget you!


I will never forget you!


spectrumlight.blogspot.com

This was the promise that I made for you
Lição de Vida n.º2




  • Nunca vires a cara a alguém, porque podes acabar com uma faca espetada nas costas.

Afinal o que é tudo isto?

Mágoas? Não, nada disso...

Devo dizer que, felizmente, toda a minha vida não passa apenas por suportar mágoas e infelicidades, mas também passa por viver e desfrutar momentos de felicidade única e especial. 

Aquela felicidade que só podemos viver uma vez e que no final só ficamos apenas com a mágoa de não a podermos voltar a viver novamente, mas sempre com a felicidade cravada na nossa memória.

Lloret de Mar - "E quem não salta não é da malta. Olé! Olé!"
Suponho que todos os finalistas 2009-10 saibam daquilo que estou para aqui a "soletrar"...











quinta-feira, novembro 25, 2010



Saudade, saudade...

Palavra eterna repleta de pensamentos perdidos 
E de memórias castradas pelo tempo.

Ai saudade...

Tu que fazes o leve pensamento pairar
Suavemente sobre o tempo 
Acabando por perder-se eternamente

Ai saudade...

Tu que estás sempre tão distante
De tudo e de todos...
Onde andas porque não te estou a ver
Mas, no entanto, estou-te a ver.


quarta-feira, novembro 24, 2010

 


 


SOLUÇÃO:



Vai pós copos...






This isn't tasty...

Talvez seja o meu paladar, que já perdeu para sempre o poder de saborear aquilo que era realmente bom, ou talvez sou eu apenas a fazer restart, para que possa voltar a sentir aquele gosto de forma mais intensa e apaixonada...




Talvez...
 

Talvez...



No entanto, só quero saber, na realidade, se poderei acordar de manhã, inspirar  profundamente e sentir o ar fresco a apoderar-se da minha alma, porque tudo o resto é como a borboleta que partiu na roda*...


*"Who breaks the butterfly on the wheel"
Lição de Vida n.º1






  • Cobiçar sempre mulher alheia, porque, no final, a tua já te pôs os cornos... 





    domingo, novembro 21, 2010

    Fartei-me... Simplesmente fartei-me de estar sempre escondido na sombra à espera que alguém me encontre (numa espécie de jogo das escondidas). Simplesmente mentalizo-me que já sou suficientemente "crescidinho" para abarcar com todos os meus erros e todas as minhas responsabilidades/consequências, sejam elas boas ou más (...) sim porque, infelizmente, a minha vida, bem como a de todos os outros, não passa de viver sempre debaixo das críticas e das difamações dos outros. Mas atenção que as críticas a que me refiro não são as críticas que uma pessoa decente e com maturidade faz com o intuito de que o receptor melhore e progrida pela positiva. Não! Refiro-me sim às das pessoas que, "por natureza", não fazem mais nada a não ser mesmo criticar pela inveja, mas pela maior parte das vezes somente pelo gozo - gozo este para melhorar o seu estatuto ou o "respeito" perante os outros. Infelizmente, com muita pena minha, esta é a nossa sociedade, que de tal forma está acabando por prejudicar  o meio em que vivemos.

    "Tudo o que está para trás das minhas costas pouco me interessa."


    Quantas vezes num só dia dissemos: "Eu não consigo! Desisto!"?
    Quantas vezes já desistimos de algo por estarmos fartos de tentar vezes sem conta?
    Quantas vezes reclamamos da nossa vida pelo mais pequeno problema que ele seja?

     
    Então pare de pensar em si e ponha-se na pele de quem é um verdadeiro soldado que nunca precisou de ir à guerra para saber o que é lutar e sobreviver:










    INDIFERENTE?






    quinta-feira, novembro 18, 2010

    Somewhere In the Sky



    Shine my little spark! Shine!



    Luzinhas Brilhantes





    (...) "Olha Olha!", disse ele com o entusiasmo de uma criança ao ver a feira popular com as suas luzes reluzentes a faiscar  de forma estonteante. "Temos que lá chegar o mais rápido possível antes que desapareça!", berrou ele para o companheiro que, após uma longa caminhada, já nem sentia as pernas de tanta a dor que já era. (...) Após uma correria ofegante e estonteante feita por ambos os jovens, lá chegaram ao seu destino (...) não tinham palavras para aquilo que estavam a presenciar naquele momento: apenas desfrutavam de forma incerta...
    O que ao longe parecia um pequeno ponto de luz como um pirilampo numa noite de verão, na realidade, ao perto, passava por ser uma luz irradiante como que de um anjo mandado pelos céus com asas compostas por pequenos fios de ouro cintilante se tratasse. "É só isto??", disseram numa unissonância os jovens esmorecidos e desiludidos com tal visão isto porque, de acordo com o velho sábio da aldeia, assim que fossem ao encontro do ponto luminoso no cume da montanha iriam encontrar o maior dos elementos da vida do ser humano, cobiçado e desejado por ele próprio.
    Tendo ambos dito isto viraram as costas, e, de forma estrondosa,  essa luz desencadeou uma enorme explosão fazendo-se desaparecer através do azul do céu daquele dia de solstício de Verão. A partir daí, ambos sentiram-se vazios, com grandes espaços por colmatar nos seus espíritos e nas suas próprias vidas; ficaram apenas à deriva da inexistência esperando por algo que partiu em meros segundos e que poderá, talvez, voltar num dia que nem eles próprios sabiam se existia.

    domingo, novembro 14, 2010

    Momentos escurecidos à luz do dia



    "O silêncio era absoluto, asfixiante, sepulcral. Parecia-lhe incrível como era possível haver assim um silêncio de tal modo profundo, tão profundo que escutava a sua própria respiração como se fosse uma tempestade e ouvia o leve zumbido da lâmpada como se se tratasse de uma enorme varejeira a zoar-lhe aos ouvidos. (...) Perdeu a noção do tempo. (...) Para quê resistir se o fim já estava traçado? Não valeria mais antecipar o desfecho inevitável?"   





    sábado, novembro 13, 2010

    Um grande amigo assim me disse...


    Criada por: Diana Leal
    Toda a nossa vida
    Fazemos 
    E refazemos
    Cálculos matemáticos.


    Adicionamos amigos e alegrias.
    Subtraímos inimigos e melancolias.
    Multiplicamos as alegrias
    E dividimos pelos amigos

    No final
    Fazemos a raiz quadrada
    E apenas restam-nos 
    Os melhores amigos,
    Que exponencialmente,
    Ajudam-nos a ultrapassar
    As subtracções.

    sexta-feira, novembro 12, 2010

    Questões (in)questionáveis

    Um dia destes dei por mim a perguntar-me:"Quem sou exactamente eu? Será que  julgo ser o que sou na realidade? Serei um desconhecido para mim próprio?"

    Depois ouvi estas questões na terceira pessoa: Quem é ele exactamente? Será que ele é quem julgo ser? Será um desconhecido para mim?"

    Agora, confuso que estou, pergunto-vos:



    Quem é esta pessoa?
    (Porque na minha utopia somos um só corpo inseparáveis pelo coração)

    quinta-feira, novembro 11, 2010

     Conversas Apedrejadas


    "Não estou sozinha de qualquer das maneiras... E também sei que há alguém para mim e sinto que vou encontrar, não posso é procurar, basta esperar."



    *E com isto penso:"Será que sou assim tão pequeno para ela  não me ver ou serei simplesmente ignorado pelo pouco interesse que desperto?"

    Pontos de exclamação e interrogação

     Como é tão difícil encarar a realidade! A única coisa que me ocorre é o facto de me achar um cobarde, de não conseguir encarar as coisas como elas são muito pelo facto de ter receio das consequências: daquilo que ela poderá dizer-me ou até talvez atirar-me à cara como se tivesse culpa ou não tivesse razões para sentir aquilo que sinto. "Continua com a tua vida porque é assim que as coisas tem que ser! Apenas fartei-me! Ninguém tem culpa das coisas terem chegado a este ponto!", what a hell?? Dizes que te fartas e ninguém tem culpa de nada??!!
    Tudo isto resume-se a uma incógnita que nenhum matemático consegue resolver. Mas eu, não sendo nenhum matemático ou cientista, tento resolve-la com a esperança de encontrar a solução: a Chave para o teu Coração.
    Criado por: Manel Silveira
    Achas que um dia vou poder entrar pela mesma porta que me mandas-te embora?

    quarta-feira, novembro 10, 2010

    Once upon a time...

    Lembras-te de quando estivemos tanto tempo sem falar e dizias que a culpa era minha porque eu é que te tinha que falar e não o contrário?

    Será que posso pedir-te para que façamos novamente o mesmo?

    Sentimentos Precoces

    "Olha! Vou ser para sempre feliz se estiver ao teu lado! Quer acredites quer não!"

    E se te disse-se que amanhã vais morrer? Será que essa felicidade iria permanecer? Um dia, um amigo meu disse-me: "A felicidade não passa de uma droga. Quando estás feliz apenas queres mais e mais e mais...", mas quando ela desaparece, vês o mundo a desabar como se fosse peças de dominó em cima de um lençol; julgas que nunca vais conseguir atingir essa felicidade que antes sentias, mas no entanto, nada fazes para tentar alcança-la novamente; apenas jorras lágrimas e mutilas a tua própria alma com sofrimento.

     
    "Nós não somos felizes, e a felicidade não existe; apenas a podemos desejar."
                                                                                                               Anton Tchekhov

    Solidão Inexorável



    Estava tudo muito calmo... Calmo de mais ao que era habitual... No entanto, lá estava ele: segurando o cigarro com as pontas dos dedos como se não tivesse grande celeridade para o terminar. Apesar do lento queimar do cigarro, ele apenas sentia a sua vida passar à sua frente com uma extrema adrenalina; como que de um cavalo enxovalhado pelo próprio dono se tratasse...
    Já o sino da igreja dava as badaladas das 23h; a noite continuava monótona sem uma única estrela no céu para lhe fazer companhia, sem uma mão amiga para o guiar no meio da solidão, sem alguém que disse-se: "Eu amo-te!"; apenas um singelo cigarro com a sua ponta semi - queimada alternando com o vermelho, semelhante à sua cara inchada de tanto chorar, e com o preto, igual àquela noite e à sua alma vadia.
    Tudo tem um fim. E esse mesmo fim tinha acabado de atracar nas portas da vida dele sem qualquer aviso nem notificação de chegada: apenas chegou.
    Virou a cara, e viu, com um olhar semicerrado devido à intensidade das lágrimas, um banco; um banco que outrora já foi um vermelho vivo comparado ao seu sangue bombeado com emoção pelo seu coração após um singelo e eterno beijo oferecido pelos lábios dela, mas que, naquele momento, estava completamente desgastado e descolorido de tantos amores e "desamores"  se terem sentado ali naquele preciso banco...
    Fechou os olhos, e imaginou ter tudo desaparecido: os seus sentimentos, os seus pensamentos, o seu passado, tudo! Tudo aquilo que lhe causou angústia, transtorno, apatia; nomeadamente, ela.